Pages

 

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Como organizo as sondagens de Língua Portuguesa no Fundamental 1

0 comentários

| Ensino Fundamental - Maria Inês Miqueleto
Para o aluno tornar-se produtor de texto, não basta compreender o sistema de escrita alfabético, pois é necessário dominar o processo de produção textual.
Escrevi, no último post, como organizo os portfólios que me ajudam a acompanhar as aprendizagens dos alunos e, inclusive, disponibilizei alguns conteúdo da pasta dos 3º Anos. Alguns itens dizem respeito às sondagens na área de Língua Portuguesa, como a de hipótese de escrita e a de produção de textos dos alunos. Hoje vou contar como estão organizadas tais sondagens.
Para acompanhar a evolução dos alunos com relação às hipóteses de escrita, os professores fazem um ditado de palavras de um mesmo campo semântico. Disponibilizo, aqui, um texto retirado do Guia de Planejamento e Orientações Didáticas do 2º Ano (Programa Ler e escrever), com os procedimentos utilizados para essa sondagem.
Destaco que todas estas práticas fazem parte do Programa Ler e Escrever da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Para acompanhar a evolução das hipóteses de escrita, utilizamos uma planilha denominada “Quadro Hipótese de Escrita“.
Quando recolho os portfólios dos professores, faço o levantamento de todas as turmas para saber quantos e quem são os alunos não alfabéticos. Apresento, aos professores, em reunião de ATPC, os resultados da escola para analisarmos e redirecionarmos os trabalhos.
Para o aluno tornar-se produtor de texto, não basta compreender o sistema de escrita alfabético, pois é necessário dominar o processo de produção textual. Diante disso, oriento os professores para que iniciem esse processo assim que as crianças se tornam alfabéticas, ou seja, compreenderam o sistema de escrita alfabética. Quando os alunos começam a produzir textos, iniciamos as sondagens, pois são elas que darão, ao professor, subsídios para planejar o ensino da língua que se escreve.
Nos 3º Anos, as sondagens de fevereiro e abril consistem em as crianças reescreverem um conto, mas somente o final dele. Há toda uma metodologia para aplicar essa sondagem que chamo de “o que fazer antes, durante e depois da sondagem”. Um aspecto muito importante é que os professores precisam ter critérios (veja aqui) para corrigir as produções e, assim, planejar o ensino.
Depois de realizada a sondagem, há as planilhas (disponíveis aqui) para registrar os resultados.  Também faço o fechamento da escola para analisar com os professores. As sondagens de junho, setembro e novembro dos 3º Anos e todas dos 4º e 5º Anos consistem em os alunos reescreverem um texto inteiro: conto, fábula ou lenda. Nos 4º e 5º Anos também são realizadas sondagens quanto à produção de textos de autoria, por exemplo, uma carta de leitor ou um relato de experiência vivida.
Os critérios para correção de texto inteiro são diferentes e disponibilizo para vocês. (quadro critérios para correção de textos inteiros). Esses critérios são os mesmos utilizados para avaliar os alunos na redação do SARESP (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar de São Paulo). Também são diferentes os registros na planilha (quadro diagnóstico de produção de texto).
Todos os registros contribuem e muito para os professores saberem como está o desempenho de seus alunos. Para mim, o acompanhamento das aprendizagens em Língua Portuguesa que realizo, por meio dos portfólios, é de extrema importância. Possibilita que eu verifique a evolução ou não das crianças e também acompanhe o trabalho dos professores, no sentido de colaborar em suas práticas de ensino para com a alfabetização ou produção de texto.
No próximo post, vou escrever sobre a sondagem na área de Matemática. Aguardem!
Beijos, Maria Inês

TAGS: , , , ,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário